Fanfics:

Chaves - O Filme!


Escola. Música ambiente. Profº Girafales está dando aula de inglês. Todos os alunos prestam atenção.

PG: Vamos continuar com a lição de inglês. Chiquinha, “light”.
CHI: Mandou uma conta muito cara esse mês!
PG: Ah, é? Não me diga!?
CH: Sim, pois é, pois é, pois é!
PG: O que eu quero dizer é como... Ah! Deixa pra lá! Chaves, burro!
CH: Não precisa ofender!
PG: Eu quero saber como se diz burro em inglês.
CH: Professor!
PG: O quê?
CH: Professor me pergunta como se diz professor porque eu já aprendi com se diz professor!
PG: Vamos ver, como se diz “professor” em inglês?
CH: “Teacher”!
PG: E “professora”?
CH: “Teachar”!
PG: Não! Professor é uma palavra que não tem gênero. Portanto, dá no mesmo dizer professor e professora. Entendeu?
CH: Sim, professora!

Profº Girafales olha para a câmera com uma expressão brava.

PG: Bem, vamos continuar. Quico
QUI: Sim, professor!?
PG: Como se diz leão em inglês?
QUI: Lion!
PG: Passarinho?
QUI: “Passarinhion”!

Profº Girafales se levanta e se aproxima de Quico, bravo.

QUI: “Baleiaion”? “Gation”? “Girafaion”! Cachorrion”? Não deu !
PG : Senta aí ! Será que nenhum de você sabe responder a minha pergunta?

Nhonho se levanta

NH: Passarinho se diz “bird”! Respondi bem?
PG: Sim! Muito bem! Tirou 10! Quem dera se tivéssemos dois alunos como você aqui na classe!
CHI: Aí não vai sobrar espaço para os outros!
NH: Olha ela, hein? Olha ela, hein? Olha ela, hein?

Todos se levantam e começam a discutir

PG: Silêncio! Silêncio! SI-LÊN-CIO!

Todos se calam e sentam, menos o Chaves.

CH: ... tudo isso por causa do tobogã de Saltillo!

Chaves percebe que o professor está atrás dele.

PG: O quê?
CH: É que me escapuliu!
PG: Na próxima você fica sem recreio! Bom, vamos...

Jaiminho entra na sala com a bicicleta.

JAI: Ai...ai...! Bom dia professor lingüiça!
PG: Ta, ta, ta, ta, tá !
JAI : Desculpa professor ! É que as crianças vivem lhe chamando de...
PG: O que o senhor quer?
JAI: Eu vim lhe trazer uma carta!
PG: Ah, sim!
JAI: Aqui está!

Os dois ficam se olhando por uns minutos.

PG: E onde está a carta?
JAI: Está aqui na bolsa!
PG: Então me dê!
JAI: Ué, aqui está!

Jaiminho entrega a bolsa de cartas ao professor.

PG: Você quer que eu procure a carta?

Chaves levanta a mão.

PG: Diga, Chaves!
CH: O Jaiminho lhe deu a bolsa porque quer evitar a fadiga e porque fazem assim em Tangamandápio!
JAI: Isso, isso, isso, isso!

Profº Girafales começa a procurar a carta.

CORTE LATERAL – AINDA NA ESCOLA

PG: Achei! Aqui está!
JAI: Então eu já vou. Tchau e...
CH: Jaiminho! Você já comprou seus remédios?
JAI: Ainda não! Acho que vou ter que vender a bicicleta para comprá-los. Bem, já vou! Com licença.

Jaiminho sai.

PG: Aqui está, crianças! Uma surpresa para vocês! Uma autorização para uma aula prática na floresta da divisa do estado!

As crianças ficam eufóricas e começam a falar.

PG: Basta. Basta! BAS-TA!
CH: ... foi a velha carcumida que disse!
PG: O que você disse?
CH: É que me escapuliu!
PG: Olha Chaves, eu suporto o que você falar de mim, mas não admito que fale assim de uma digníssima dama, como Dona Florinda! Entendeu?
CH: Sim!
PG: O que eu disse?
CH: Que da Dona Florinda não devo falar nada de feio, e que posso descontar no senhor!
PG: Senta ai! Vou ler para vocês a carta de autorização do secretário de educação. “Caro Professor Inocêncio Girafales, estou lhe enviando a autorização, por escrito, da sua aula prática na floresta do estado. Façam uma boa viagem. Atenciosamente, Gael Gutierres (Secretário de Educação).”
Quico se levanta.

QUI: Que legal!
PG: Ouviram? E vocês ainda podem levar a família de vocês!
CH: E záz! Eu vou viajar e... vou com o Seu Madruga...e záz! Záz!

Paty se se levanta.

PAT: Professor eu não vou poder ir.
CH: Mas porque, Paty?
PAT: Porque minha tia não se sente bem. Professor, o senhor quer ver como minha tia se sente?
PG: Como?

Paty arruma o vestido e se senta.

PG: Não, nesse caso é o verbo “sentir-se” e não “sentar-se”!
GDZ: Eu também não vou.
PG: E porque, Godinez?
GDZ: Porque vai passar o jogo do Corinthians no Canal Oito!
PG: Então, nós nos vemos... na próxima cena!

CORTE PARA A VILA

Música Ambiente. Seu Madruga está varrendo o pátio. Dona Florinda chega do ouro pátio. Quico, Chiquinha e Chaves chegam da escola, correndo.

QUI: Mamãe, mamãe! Já cheguei!
DNF: Que bom, tesouro!
CHI: Oi, papaizinho lindo, meu amor!
SMA: Oi, Chiquinha!
CHI: Papai, o professor fez uma pergunta e eu fui a única que levantou a mão!
SMA: Oh, que bom, filhinha! E o que ele perguntou?
CH: Quem não fez a lição de casa?
DNF: Há, o que pode se esperar da filha de um pobre?
SMA: Mas a Chiquinha , digo, é muito sincera!
CHI: Mas agora vem a melhor parte, papai!

Dona Clotilde abre sua janela e os observa.

CHI: O professor Girafales vai fazer uma excursão para a floresta do estado e falou para que convidemos os nossos papais!
QUI: É verdade, mamãe!
CHI: E eu quero que você vá para cuidar de mim!
CH: E quem vai cuidar do seu pai?

Dona Clotilde sai de casa

B71: Eu vou!
SMA: A senhora?
B71: Isso mesmo! Eu adoro viagens longas!

Seu Madruga engole seco e coça a cabeça

DNF: Vamos fazer as malas, tesouro!
QUI: Sim, mamãe!

Quico se aproxima de Seu Madruga

QUI: Gentalha, gentalha, Prrr...
SMA: O quê que foi, o quê que foi, o quê que há?
QUI: Que coisa, não? É a força do hábito!
DNF: Anda, tesouro!
QUI: Mamãe, a Pópis vai com a gente, porque a mãe dela vai trabalhar!
DNF: Então vamos!

Quico e Dona Florinda entram. Pópis chega com uma mochila nas costas e entra na casa de Dona Florinda.

CHI: Vamos, papai!
SMA: Sim, vamos fazer as malas!
CHI: Você vai com a gente, Chavinho?
CH: Isso, isso, isso, isso!
SMA: Vamos entrar!
B71: E eu vou fazer as minhas malas!

Todos entram em suas respectivas casas.

CORTE PARA FRENTE DA VILA

Todos estão na frente da vila, inclusive Srº Barriga e Nhonho. Professor Girafales vem chegando atrasado. Dona Florinda o vê.

DNF: Professor Girafales!
PG: Dona Florinda!
DNF: Que milagre o senhor por aqui!
PG: Vim conduzir essa humilde viagem!
DNF: Que emocionante!
PG: Não gostaria de entrar para que possamos viajar?
DNF: Não será muito incômodo?
PG: De maneira nenhuma, pode entrar!
DNF: Depois do senhor!
PG: Não, depois da senhora!

Os dois entram no ônibus e logo atrás os outros moradores da vila e se sentam juntos: Pópis e Quico, Dona Florinda e Professor Girafales, Seu Madruga e Chiquinha, Dona Clotilde e Chaves, Nhonho e Srº Barriga. O ônibus começa a andar. Pópis se levanta sem sair do lugar.

PP: Nós poderíamos cantar alguma, não?
CH: Isso, isso, isso, isso! Mas o que, se não sabemos como se canta bonito!?
B71: Eu conheço uma canção!
SMA: A senhora?

Todos se surpreendem com Dona Clotilde.

B71: Eu mesma! Quando eu era menina...
CHI: A senhora se lembra?
B71: O quê!?
SMA: Chiquinha! Ou se comporta ou voltamos para casa!
CHI: Sim, papaizinho lindo!
SMA: Pode prosseguir, Dona Clotilde.
B71: Obrigada, Seu Madruga! A canção diz assim...

Começa a canção “Dó,Ré,Mi”




B71: Comecemos pelo comecinho,
Um bom lugar para começar!
Para ler se começa com...

PG: A,B,C
B71: Pra cantar se começa com Dó,Ré,Mi
Todos: Dó,Ré,Mi
B71: Dó,Ré,Mi, as três notinhas que
Eu aprendi... Dó,Ré,Mi
Dó,Ré,Mi,Fá,Sol,Lá, Si...

B71: Bom, deixa eu ver se posso facilitar.


Refrão 1
B71: Dó, é pena de alguém,
Ré, que anda para trás,
Mi, pronome que não tem,
Fá, que falta que nos faz,
Sol, o nosso astro-rei,
Lá, distante que nem sei,
Si, de sino e de sinal,
E afinal voltei ao dó (ó,ó,ó,ó)

B71: (Repete refrão 1)
Todos: Dó,Ré,Mi,Fá,Sol,Lá, Si
B71: Sol, Dó!

B71: Professor, me corrija se estiver errada. Dó,Ré,Mi,Fá,Sol,Lá, Si, são as notas que devemos aprender para cantar. Podemos uni-las de vários jeitos, como:Sol,dó,lá,fá,mi,dó,ré. Podem repetir?
Todos: Sol,dó,lá,fá,mi,dó,ré!
B71: Sol,dó,lá,sí,dó,ré,dó!
Todos: Sol,dó,lá,fá,mi,dó,ré!
B71: Tudo junto!
Todos: Sol,dó,lá,fá,mi,dó,ré. Sol,dó,lá,sí,dó,ré,dó!
B71: Bom!
CH: Mas isso não significa nada!
SBA: E se colocarmos palavras e suas sílabas para cada nota?
CH: Isso, isso, isso, isso!
B71: Pode ser assim: Com as no-tas pra can-tar, a can-ção vai res-soar!
Todos: Com as no-tas pra can-tar, a can-ção vai res-soar!

A canção acaba.

PP: Ta vendo, Nhonho? As anciãs também sabem canções divertidas!
B71: Quem aqui é anciã?
CHI: Ora, a senhora!
B71: Quê!?
SMA: Chiquinha! Não liga pra ela, Dona Clotilde. A senhora sabe que as crianças de hoje em dia se deixam levar pelas aparências, não é mesmo?
B71: Como?
SMA: Digo, digo...
B71: Melhor não dizer nada! Com licença!

Dona Clotilde se senta, cruza os braços e fecha a cara. Professor Girafales se levanta.

PG: Bem, depois dessa alegre canção, quem quer um copo de refresco?

Todos aceitam a idéia do Professor Girafales.

PG: Chaves! Ali atrás tem uma jarra com refresco e alguns copos. Pegue-os para mim!
CH: Sim!

Chaves pega a jarra e tudo mais e os coloca numa bandeja. O ônibus dá uma freada brusca e Chaves derruba o refresco no Srº Barriga, que levanta furioso.

SBA: Tinha que ser o Chaves de novo!
CH: Foi sem querer querendo!
SBA: Sem querer querendo, mas quem acaba na pior sou eu! Sempre! Até fora da vila eu não escapo do Chaves!
CH: É verdade. Acontece que o ônibus...
SBA: Ta bom, Chaves! Quer calar essa boca?
QUI: Ué, que boca o senhor queria que ele calasse?

Srº Barriga se enfurece ainda mais.

QUI: A da Pópis? A da Chiquinha? A do Nhonho, porque é parecida com a sua e...!? A do motorista do ônibus? Não deu!
DNF: Tesouro! Não fique falando grosserias para as pessoas!
QUI: Sim, mamãe!

CORTE DE CENA

Todos estão dormindo. Chiquinha e Chaves conversam.

CHI: Olha Chavinho, o que você acha de passarmos pasta de dente no rosto do Quico?
CH: Isso, isso, isso, isso!
CHI: Então olha, minha mochila está aí em cima no bagageiro, pega ela e depois a pasta de dente!
CH: Isso, isso, isso, isso!

Chaves se levanta para pegar a mochila e quando puxa a alça da bolsa, derruba tudo que estava no bagageiro de cima.

CHI: Burro! Tenta não fazer barulho para não acordar todos, principalmente o Quico!
CH: Ta!

Chaves pega o tubo de pasta de dente e começa a andar até o Quico, só que quando chega bem pertinho, volta pra junto da Chiquinha.

CHI: O que foi agora?
CH: Aonde é que eu passo?

Chiquinha tira os óculos

CHI: No pé! Claro que é no rosto, tonto!
CH: Isso, isso, isso, isso! Para que quando ele acordar, passar a mão na cara e sujar o rosto ainda mais!
CHI: Mas é claro!
CH: Aí ele vai ficar com a cara suja!
CHI: Sim!
CH: E quando acordar, vai sujar toda a cara!
CHI: Sim.
CH: E quando ele sujar...
CHI: Cheeeeeggggaaaaaaa!
CH: Ta bom, mas não se irrite!
CHI: Ai, Chaves! O que você tem de burro, você tem de burro! Me dá isso aqui! Deixe que eu mesma passe no Quico!
CH: Ta bom, mas não se irrite!
Chiquinha pega a pasta de dente e vai pé-ante-pé até Quico. Na hora em que chega perto do menino, Seu Madruga a cutuca no ombro, mas ela não percebe que se trata de seu pai.

CHI: Peraí, Chaves!

Cutuca o ombro da menina.

CHI: Já falei pra esperar...

Chiquinha se vira e percebe que Seu Madruga está bravo.

CHI: Ah, papai! É o senhor?
SMA: Não! Sou um clandestino que quer viajar com a escola!
CHI: Pois parece o meu pai!
SMA: Não se faça de tonta!
CHI: Ahá, ohó, ahá!

Seu Madruga se prepara para bater na Chiquinha. Nesse momento, o Profº Girafales acorda, se levanta e dá um grito!

PG: Já chegamos!

Todos despertam

PG: Sejam bem-vindos ao Hotel “Três Pinhos”!

Todos ficam muito contentes e se preparam para desembarcar. Pópis e Nhonho são os primeiros a descer do ônibus. Quando os outros resolvem sair, todos se embolam e ninguém consegue descer. Causando uma enorme muvuca, até que depois de muito tempo, conseguem se soltar e desembarcar. Ao desembarcarem, todos os excursionistas ficarem de frente para o hotel.

CH: Puxa! Que hotel lindississississimo!
PG: E pela descrição do folheto, os quartos e o interior do hotel são perfeitos!
CH: Recontra-puxa!
PG: Vamos entrar e nos acomodar. Quero começar os passeios ainda esta tarde!
SBA: Mas professor, como vai ser a divisão dos quartos?
DNF: O Srº Barriga tem toda razão, Profº Girafales. As famílias vão ficar juntas, ou vai ser um quarto para as mulheres e um para os homens?
PG: O gerente não me informou, Dona Florinda. Na hora que formos fazer o check-in, veremos isso. Vamos?

Todos entram no hotel. Profº Girafales e os outros adultos se dirigem à recepção, enquanto as crianças ficam no saguão conversando.

NH: Chavinho, que tal se brincássemos de escorregar no chão?
CH: Zás! E a gente fazia um campeonato e escorregava e zás! Zás!
NH: Isso mesmo! Vocês conhecem as regras?
PP: Eu sim! São uns pauzinhos de plásticos que marcam os centímetros e alguns são até de madeira!
CHI: Ai, Pópis! De cada 4 coisas que te explicam, você não entende 5!
PP: Isso não está certo! Se me explicam 4 coisas, o máximo que eu posso ficar sem entender são 4 coisas!
CHI: O que acontece é que vão não entende, porque não entendeu as explicações!
PP: Eu só não conto pra minha tia por uma única razão!
CHI: Qual?
PP: Eu não entendi.
CH: Em vez de discutirmos, vamos brincar ou não?
QUI: Ta legal!
NH: Quem vai começar?
CHI: Eu!
NH: Então vai!

Chiquinha dá uns dois passos para trás, corre e escorrega.

CH: Agora sou eu!

Chaves toma muita distância e corre.

CH: Lá vou eeeeeeeuuuuuu!

Chaves escorrega e derruba o carregador de malas do hotel.

CH: Foi sem querer querendo!

CORTA CENA PARA A RECEPÇÃO

Todos os adultos estão discutindo em voz alta.

DNF: Silêncio. Silêncio. SI-LÊN-CIO!

Todos se calam.

DNF: Profº Girafales, temos que resolver tudo com calma!
PG: Isso, isso, isso!

Profº Girafales se vira para a recepcionista.

PG: Minha senhora, como será feita a divisão dos quartos?
REC: As mulheres vão ficar no quarto 11, na ala norte do hotel e os homens vão ficar no quarto 12, na ala sul.
PG: Perfeito!
REC: Carregadores!

Chegam 2 rapazes carregadores.

REC: Você, leva as bagagens das senhoras para o quarto 11 e você leva a dos homens para o quarto 12. Aqui estão as chaves. Vocês podem desfrutar de todas as instalações do hotel.
PG: Obrigado! Crianças!

As crianças se aproximam

PG: Vamos nos acomodar nos quartos! Pópis e Chiquinha, podem seguir Dona Florinda e Dona Clotilde. Os meninps podem seguir Seu Madruga e eu! Vamos nos encontrar aqui no saguão em 1 hora, para que possamos dar início a nossa aula prática de ciências naturais!

Todos seguem para os quartos. Ao chegarem no quarto 12, os rapazes se acomodam e o carregador estende a mão para receber a gorjeta. Nhonho passa pelo carregador e lhe entrega um chiclete que estava mascando. O rapaz olha para Nhonho se entender nada.

NH: É só o que eu tenho. Na próxima eu te dou um de hortelã.

O carregador sai do quarto
PG: Bem crianças, se aprontem para que possamos começar o passeio!
SMA: E então senhor roupa, que barriga vai vestir?
SBA: O que disse?
SMA: Digo, digo..., que roupa vai vestir, Srº Barriga?
QUI: Acho que o senhor barriga vai quere um conjunto cinza.
SBA: E porque?
QUI: Para que vá se acostumando com a idéia de como é ser um elefante de verdade!
SBA: O que?

Quico se aproxima do gordo

QUI: Um cavalo?...Uma baleia?...Um porco, que fuça no chiqueiro!...Uma vaca prenha?...Não deu!
PG: Quico!
QUI: Sim, querido professor!?
PG: Mais respeito com os defeitos físicos das pessoas!
SBA: Como?
PG: Perdão, perdão!

CORTE DE CENA

PG: Todos prontos?
TODOS: Sim!
PG: Então vamos!

Os homens saem do quarto

CORTE PARA O QUARTO 11

Dona Clotilde, Dona Florinda e Chiquinha estão na porta do quarto.

DNF: Vamos, Pópis!
B71: O Profº Girafales já deve estar esperando no saguão do hotel!

As três saem. Pópis aparece na porta.

PP: Me esperem! Eu estava dando banho na Serafina! Esperem!

Pópis bate a porta do quarto e corre ao encontro dos restantes. Ao chegar no saguão, todos estão à sua espera.

PP: Cheguei!
PG: Agora estamos completos?
CH: Não. Para mim falta uma unha no pé esquerdo!
SBA: Não, Chaves! O que o professor está perguntando, é se já estão todos aqui!
CH: Ah, bom, se é assim, sim!
PG: Bom, então vamos! A entrada da floresta é logo ali!

Todos saem do hotel em direção á floresta. No caminho, Chaves e Quico conversam. Câmera em close no rosto de Quico.

QUI: Ai, Chaves! Você é muito mole!
CH: É que eu não agüento muito peso!

Quando a câmera se afasta, percebe-se que Chaves está carregando Quico nas costas. Nisso, Chaves derruba o bochechudo.

CH: Cansei!
QUI: MAMÃE!
Seu Madruga que estava logo atrás, intervém.

SMA: O que está acontecendo aqui?
CH: Eu derrubei o Quico, porque ele é um folgado!

Dona Florinda que estava na frente com o professor, chega preocupada.

DNF: O que foi, tesouro?
QUI: Mamãe, me derrubou!

Dona Florinda olha para Seu Madruga

DNF: só podia, não é mesmo?!
SMA: Derrubou ele porque é um folgado!
DNF: E ainda chama meu filho de folgado?

Dona Florinda dá um tapa em Seu Madruga

DNF: E da próxima vez, vá empurrar a sua vó! Humpf!

Mãe e filho vão para o início da fila

CH: Seu Madruga, o senhor empurra sua avozinha porque ela anda de cadeira de rodas?

Seu Madruga se irrita e dá um cascudo no Chaves

SMA: Toma!
CH: Pipipipipipi!
SMA: E só não te dou outra porque...

Porfº Girafales avisa

PG: Vamos, pessoal! Não percam o ritmo, a floresta é logo ali!

O mesmo aponta para frente e mostra a floresta. Todos entram na floresta que mostra ser um lugar um pouco diferente dos lugares do estado.

PG: Atenção! Pais e alunos, façam uma linha na minha frente.

Pópis pega um graveto e risca uma linha na frente do mestre.

PP: Por aqui passou Colombo, com todo o seu batalhão!

O mestre olha para a menina sem entender a ação.

PG: O que você fez?
PP: O que o senhor mandou, uma linha na sua frente.
PG: Eu falei para, vocês, formarem uma linha na minha frente!
PP: Gritou comigo! Mas eu vou te acusar!

A aula prática se inicia

PG: Bem, vamos começar. Como vocês sabem, a natureza nos proporciona recursos de diversos tipos. Vamos começar pelos alimentos.
NH: Sim! Qual vai ser o cardápio do pique-nique?
SBA: Não, Nhonho. O Profº Girafales o quer, é começar a falar dos alimentos.
PG: Quico!
QUI: Sim, professor!
PG: Diga um alimento que contenha fósforo!
QUI: As velas!... Os isqueiros?...Caixas de fósforos!...Os senhores que fumam?...Não deu!
PG: Os peixes tem fósforos!
QUI: Os peix... Eu não entendo!
PG: Não entende o que?
QUI: De que adianta os peixes terem fósforos, se não podem acender embaixo d’água?
PG: O fósforo é uma substância e você deveria comer muito peixe, porque o peixe é um dos alimentos que ajudam a melhorar a inteligência!

Seu Madruga chama a atenção de Dona Clotilde

SMA: Se continuar desse jeito, ele vai precisar comer sempre uma baleia!

Todos começam a rir

NH: É verdade! O Quico precisa comer uma baleia inteira!
QUI: Pois eu vou acabara comendo você!
NH: Olha ele, hein? Olha ele, hein?
PP: Ah, conta tudo pro seu api, Nhonho!

As crianças começam a discutir

PG: Basta! Basta! BAS-TA!

Todos se calam, menos o Chaves

CH: ...o Srº Barriga parece um barril destampado!
SBA: O que? Tinha que ser o Chaves de novo!
CH: É que me escapuliu!

Passam-se 20min. Pópis levanta a mão, pedindo a palavra.

PG: Pópis!
PP: Professor, é verdade que as porcas botam ovos?
PG: Claro que não! Quem lhe disse isso?
PP: Foi o Chaves!
CH: É verdade!
PG: Não, Chaves! As porcas são mamíferos e por isso seus filhotes nascem da barriga dela. Porque você disse que as porcas botam ovo?
CH: Porque a porteira da nossa vila, tem duas galinhas. Uma é limpinha e a outra, é uma porca.

Todos acham o comentário, idiota.

DNF: Profº Girafales!
PG: Pois não, Dona Florinda.
DNF: Já não é hora de fazermos um lanche?
PG: É mesmo! Eu já ia me esquecendo!
CH: Como alguém pode se esquecer de comer?
NH: Nisso eu concordo com o Chaves. Porque comer é a coisa mais maravilhosa que existe no mundo!
CHI: É por isso que você ta assim, tão gordão!
NH: E é por isso que você ta assim tão sequinha, eu como porque...
CHI: Você vai explodir...
NH: E você vai sumir e...

Quico grita
QUI: Aaahhhh! Calem-se, calem-se, calem-se, que vocês me deixam looooouuucooo!

O grito do menino até assusta os pássaros

CORTE PARA CENA DO PIQUE-NIQUE

Todos estão sentados lanchado. Chiquinha ri para a câmera e levanta. Começa música 2.
Todos: Pois é, pois, é, pois, pois é (3x) REF. 1
CHI: Pois é, pois, é, pois é! REF. 1
Outro no dia no parque,
Um leão feroz escapou,
Todos gritaram ajuda,
E eu lhe dei: um belo tapa! (Claro que eu tomei lições com Dona Florinda!)

DNF: Humpf!
Todos: Ref.1 (3x)
CHI: Quando eu estava no banho,
Um disco voador,
Aterrizou em bem frente,
Desembarcou: um feio marciano! (O marciano me propôs casamento e eu falei que voltasse na semana quem vem!)
Todos: Ref. 1 (3x)
CHI: Um outro dia no “cine”,
Alguém me abraçou,
Era uma mão bem peluda,
Sabe de quem?: era o King Kong! (Eu falei para ele que éramos parentes!)
Todos: Ref. 1 (6x)
CHI: Eu sei que todos vocês,
Pensam que nada é verdade,
Mas eu lhes dou minha palavra,
Sabe o que foi?
Todos: O quê?
CHI: O que sonhei!
Todos: Ref. 1 (3x)

DNF: Tesouro, não siga o exemplo da Chiquinha e seja um menino honesto e sincero!
QUI: Sim, mamãe!
SMA: Como se o Quico fosse honesto e sincero!
DNF: O que o senhor disse?
SMA: Digo...a senhora se lembra daquela história da estrelinha de bom menino?
DNF: Bem, aquilo foi um deslize e...ah! O que te importa?
B71: Não ligue para ela, eu Madruga. Eu fiz um bolo só para o senhor!

Dona Clotilde entrega o bolo ao Seu Madruga

CHI: Não, papai! Esse bolo pode estar enfeitiçado!
SMA: Chiquinha! Como você pode falar mal de uma bruxa que não tem nada de dama?
B71: Como?
SMA: Digo, digo...é que eu fico doido, quando essas crianças falam coisas fo tipo como, que o bolo vai me transaformar em esqueleto e tal!
CH: O senhor já comeu um pedaço, né?
SMA: Tinha que ser o Chaves mesmo!

Seu Madruga dá um cascudo no Chaves

SMA: Toma!
CH: Pipipipipipi!
SMA: Só não te dou outra porque...
PG: Seu Madruga não admito que o senhor bata no pobre do Chaves!
SMA: Mas é que ele...

Todos começam a discutir. Pópis e Nhonho conversam.

NH: Pópis!
PP: O quê?
NH: Eu acho que a casa dos sete Tchuin Tchuin Tchun Clains é por ali!

E aponta para uma trilha

PP: Que legal!
NH: Vamos procurar!
PP: Sim!

E saem sem que ninguém perceba. Depois de alguns minutos, Srº Barriga nota a falta de Nhonho e Pópis. Todos continuam a discutir.

SBA: Silêncio! Silêncio! SI-LÊN-CIO!

Todos param de discutir menos, é claro, o Chaves

CH:...é bem capaz de pensarmos que o Seu Madruga é um chimpanzé raivoso!
SMA: Que que foi, que que foi, que que há!?
CH: É que me escapuliu!

Seu Madruga ironiza

SMA: É que escapuliu! Só não te bato porque não quero arrumar mais uma discussão com o professor!
SBA: Vocês dois querem calar a boca! O Nhonho e a Pópis desapareceram!

Dona Florinda se apavora

DNF: O que?
PG: Temos que procura-los imediatamente!
B71: Calma, professor! Temos que nos organizar, senão nunca vamos acha-los!
CHI: A bruxa tem toda razão!
B71: O que?
SMA: Chiquinha! Não diga isso!
CHI: Ta! A bruxa não tem razão!
SMA: Chiquinha! Não chame a senhorita de bruxa!
CHI: Ahá, ehé, ohó!
B71: Como eu estava dizendo, temos que nos separar para procurar o Nhonho e a Pópis e para isso seria bom a gente se dividir em dois grupos de busca!
DNF: Mas como?
B71: Simples! A senhora e as crianças vão por um lado e nós, que restamos, vamos pelo outro!
QUI: Não!
DNF: Não, porque, tesouro?
QUI: Eu acho mlhor nós irmos pelo “outro” e vocês pelo “um”!
DNF: Ai, tesouro! Por favor!
PG: Então, comecemos a busca!
E então, os dois grupos saem para procurar os dois perdidos. Enquanto isso, Nhonho e Pópis pulam e brincam sem reparar que se perderam.

NH: Há uma palavra-chave,
PP: Que significa, “quem sabe”!
NH e PP: Tchuin tchuin tchum clain (2x)

Param de cantar

PP: Nhonho, a casa dos sete Tchuin Tchuin Tchun Clains é muito longe?

Nhonho começa a chorar

NH: Ahá-hic! Ahá-hic!
PP: Porque você ta chorando?
NH: é que...é que...eu acho que a gente se perdeu do pessoal da vila!
PP: Eu vou contar tudo pra... Será que minha tia Florinda já deu falta de mim?
NH: E o meu papai? Ahá-hic! Ahá-hic!

CORTE PARA O GRUPO DO CHAVES

Chaves e os demais andam em fila indiana. Quico grita.

QUI: Mamãe!

Dona Florinda corre.

DNF: O que foi tesouro?
QUI: Eu acho que vi uma cobra!
DNF: Não ligue pra ele, tesouro e não se misture com essa gent... Você acha que viu o que?
QUI: Uma cobra.
DNF: Co-co-cobra! Aqui?
CHI: O que você queria encontrar aqui? Um guardador de carros?
DNF: Humpf!

Chaves está atrás de Dona Florinda

DNF: Dona Florinda, o que é isso no pescoço da senhora?

Dona Florinda grita

DNF: Aaaaahhhhh!
CHI: Ah, Dona Florinda! Se assustando com uma cobrinha de nada! Nem aparece homem!
DNF: O que?

CORTE DE CENA PARA OUTRO GRUPO

Adultos caminham. Srº Barriga e Seu Madruga conversam.

SBA: Estou preocupado. Com essa confusão toda esqueci de te falar uma coisa.
SMA: O que é?
SBA: Pague o aluguel!
SMA: O que que foi, o que que foi, o que que há!? Digo, só mesmo o senhor, Srº Floresta, pra me cobrar 14 meses de aluguel em plena “barriga”!




SBA: O que foi que o senhor disse?
SMA: Digo, digo... só mesmo a floresta para..não,não,só...
Seu Madruga se atrapalha

SBA: Ta bom, ta bom! Já entendi! Mas, que com essa situação toda, eu tenho que fazer alguma coisa para me distrair!

OuveS-se gritos, bem longe, femininos

PG: Dona Florinda!

CORTE PARA O GRUPO DO CHAVES

DNF e CHI: Aaahhhh!!!
QUI: Chaves, larga esse sapo agora!

Chaves põe o sapo no chão e pega um toco de madeira.

CH: Eu vou largar,mas é esse tronco e na sua cabeça!
QUI: Não Chavinho, não,não! Mamãe!

Chaves começa a correr atrás do Quico. Dona Florinda e Chiquinha correm atrás para não se perderem.

CHI: Isso, Chaves! Quebra as bochechas dele e arrebenta a cara dele!
DNF: Pare de incentivar, menina!

Nisso, Chaves e Quico caem em um buraco. Chiquinha e Dona Florinda observam de cima.

DNF: Tesouro!
CHI: Chavinho!

Lá em baixo, os dois brigam.

CH: Como você é burro, Quico!
QUI: Burro, eu?
CH: Isso, isso, isso, isso! A culpa é toda sua!
QUI: A culpa é minha? Lembre-se que foi você...

Quico aumenta o tom de voz

QUI: ...que começou a correr feito uma muuullllaaa!!!!
CH: Ta bom, mas não se irrite!
DNF: Tesouro! Espera um pouco que eu vou arrumar alguma coisa para puxar vocês!
QUI: Sim, mamãe!

DNF: Anda, menina! Procura alguma coisa pra puxa-los!
CHI: Ta bem!

CORTE PARA GRUPO DOS ADULTOS

Dona Clotilde está com aparência cansada.

B71: Ai, Seu Madruga! Eu não agüento mais andar!

Seu Madruga dá o braço para Dona Clotilde

SMA: Vamos, Dona Clotilde! As crianças dvem estar por perto!
SBA: O Seu Madruga tem razão e...

Nesse momento, todos ouvem as vozes do dois perdidos.
SBA: Nhonho!
NH: Papai!

Dona Florinda e os outros chegam.

PP: Tia!
DNF: Pópis!

Todos se abraçam

CORTE – CENA FINAL – VILA

Chaves e as outras crianças estão sentadas na escada da vila.

CH: Sabe, gente. Essa aventura, foi bem legal!
CHI: É Chavinho!
QUI: A gente se aprendeu...
NH: Se perdeu...
PP: E acima de tudo, se divertiu!
CH: Isso tudo, foi possível porque somos amigos e temos que agradecer ao melhor dos amigos!

Adultos vêm do outro pátio.

SBA: Acreditem, a ajuda de vocês foi muito boa!
DNF: Pois o mesmo digo eu, Srº Barriga, é um prazer te-los como, não apenas como inquilinos, mas como amigos também!

Todos seguem paras suas casas. Chaves entra no barril e se abaixa, logo em seguida, se levanta.

CH Nós nos veremos para sempre, nessa mesma vila, nessa vida e nas outras que virão!

Chaves se abaixa no barril

FIM

Agradecimentos:
Dedediadema, pelo cartaz do filme.
Danilo, do Chavorama, por aceitar minha idéia de produzir o filme.
Usuários do FUCH