Entrevistas:

Entrevista com Marta Volpiani


A versão brasileira de Dona Florinda conta tudo para o nosso colunista chaves_007!

Marta Volpiani com seu filho caçula!

1. Sendo dubladora de um seriado que faz muito sucesso com as crianças, fale um pouco sobre como foi a sua infância.

Tenho grandes e boas lembranças de minha infância. Nasci na zona rural de Votuporanga - São Paulo, nas terras de meu avô. Cresci em meio às plantações de café. Era uma época sem medo, onde eu e meus primos (já que sou filha única) podíamos viver a infância na sua plenitude.

2. Como você entrou na dublagem?

Entrei na dublagem meio que por acaso. Eu fazia uma novela na TVS na Vila Guilherme, não me lembro bem qual novela,  na época fazíamos as novelas mexicanas, e no intervalo entre uma novela e outra, ficávamos sem trabalho óbvio, aliás como é até hoje, ator tem emprego uma época e outra não. Mas eu nunca quis saber de ficar desempregada. Num desses intervalos, fui até os estúdios de dublagem que funcionavam dentro da televisão dirigidos pelo Marcelo Gastaldi. Ele me mandou fazer um teste de dublagem, fiz e comecei  a  fazer pequenos trabalhos em dublagem. Um dia o Marcelo me chamou e disse: “Tenho um trabalho pra você, que vai ser a série de maior sucesso da televisão brasileira. Não me pergunte nem o que é, vai pro estúdio e faça." Ele realmente sabia o que estava falando.

3. Nas suas horas de folga, o quê você costuma fazer?

Nas minhas poucas horas de folga, vou ao cinema (amo cinema)  leio os meus livros que agora por sinal estão em atraso, procuro fazer um pouco de ginástica e escrevo muito, talvez algum dia tome coragem de publicar alguma coisa, por enquanto estão recheando as gavetas, e me dedico muito à minha família que é prioridade máxima em minha vida.

4. O que seus filhos acham de ter como mãe, a "Dona Florinda"?

Tenho 2 filhos , um de 15 anos e outro e 8 , Todos os dois sempre acharam o máximo ter em casa a voz da Dona Florinda. O mais novo, às vezes, quer fazer as cenas comigo  e a gente sempre se diverte muito com isso.

5. Os fãs do Chaves quase não têm informações sobre o Potiguara Lopes, a primeira voz do Professor Girafales. Fale para nós sobre ele.

Potiguara era um ator e dublador fantástico, quando começamos dublar o Chaves, ele dublava e também dirigia a série. Eu só conheci o Potiguara profissional, pois ele era uma pessoa muito tímida e reservada. Quase nunca falava de sua vida, era um pouco calado, e me parecia ser uma pessoa de saúde frágil. Tanto era que ele faleceu logo depois, sendo substituído pelo Osmiro Campos.

6. O usuário "Beterraba" do Fórum Chaves quer saber: "Qual programa você mais gostou de dublar, Chaves ou Chapolin?"

Oi Beterraba, tudo bem?  Respondendo a sua pergunta, todos os programas do Chaves foram muito bacanas de serem feitos, e foi um trabalho que eu gostei muito de fazer, e gosto até hoje. O Chapolin era um trabalho mais interessante, porque cada programa era um personagem diferente, com nome e características diferentes, dando margem a um trabalho mais criativo, ao passo que Chaves era sempre o mesmo   personagem, mais nem por isso menos interessante.

7. Qual sua opinião sobre o Desenho Animado do Chaves?

Acho o desenho do Chaves um trabalho muito bom, como animação. Conseguiram manter as características de cada personagem dando até certa modernizada em todas as situações. Confesso que no começo da dublagem do desenho fiquei um pouco assustada, achando que o resultado do trabalho poderia não ser muito bom, afinal, fazer a voz da Popis aos 20 anos, é uma coisa e mais de 20 anos depois é outra bem diferente. Mas no final acabei gostando e acho que ficou bem bacana.

8. Como você se sente sabendo que não recebe pela reprises do Chaves e do Chapolin?

Absolutamente lesada. Mas em um país onde atrizes como Lucélia Santos que estrelou a novela de maior sucesso de todos os tempos que foi Escrava Isaura, e que foi vendida para quase todos os países do mundo, também não tem seus direitos autorais respeitados, imagine você o que acontece com o Chaves que foi produzido pela Televisa e comprado pelo Silvio Santos.

9. A Marta Volpiani é mais parecida com a Dona Florinda, com a Chimoltrúfia ou com as mocinhas interpretadas por Florinda Meza no Chapolin?

Acho que com nenhuma delas, muito embora nós atores quando fazemos qualquer trabalho de dublagem, nos identificamos muito com os personagens. Mas se eu tivesse que escolher uma, escolheria a Dona Florinda, apenas por causa de sua relação com o Kiko, pelo filho ela faria qualquer coisa por mais absurda que fosse. Eu sou uma mãe assim, pelos meus filhos faço qualquer coisa. Claro, sem os destemperos da Dona Florinda.

10. O usuário do Fórum Chaves Ecco, gostaria de saber como foi a dublagem do Clube do Chaves, o que mudou, tanto na série como na dublagem. E quer que você fale um pouco sobre a Chimoltrúfia

O Clube do Chaves foi diferente de tudo o que tínhamos feito antes, os personagens , a linguagem, a dublagem demorou um pouco pra engrenar, (estou falando por mim). A Chimoltrúfia era um personagem muito característico e eu não conseguia encontrar uma forma de dar a ela uma linguagem que se aproximasse  da nossa realidade. No final, demos a ela um tom bem caipira que agradou a alguns e foi motivo de críticas  de outros.

11. O Matheus_CH quer saber o que você diria para a Florinda Meza caso venha a se encontrar com ela um dia.

Matheus, você não imagina como eu gostaria de me encontrar com a Florinda Meza. Depois da dublagem, eu tinha a impressão de adivinhar  até os seus pensamentos. Eu diria muitas coisas a ela, mas  gostaria de saber o que a impede de  vir ao Brasil, já que ela tem milhares de fãs que dariam tudo pra vê-la de perto.

12. Responda a primeira coisa que vier à sua cabeça, com uma palavra ou uma frase:

Sou muito grata pelo carinho de todo o fã clube do Chaves, que também foi o grande responsável pelo sucesso desta série.

Família: Minha prioridade absoluta, meu porto seguro.
Deus: Minha sustentação.
Chaves: Uma realização.
Dublagem: Um trabalho maravilhoso, não reconhecido como deveria.
Marcelo Gastaldi: Uma grande saudade.


Voltar ao Menu Principal